quinta-feira, maio 02, 2013


Mulher - O antes e o depois da maternidade e do consequente amadurecimento.

Já ouvi muito a expressão que "a mulher só amadurece após a maternidade" e ficava sem entender. Hoje, não somente entendo, como concordo plenamente. No meu ponto de vista, o referido amadurecimento, diz respeito ao "eu" da mulher. Da forma como ela se vê e como se sente. E é através dessa janela, que ela começará a enxergar e entender o mundo, da forma que ele realmente é. Citarei alguns exemplos para que concordem ou discordem do meu pensamento:

Antes de ser mãe:

A mulher tem ataque na frente do espelho, porque a roupa não ficou boa e fica louca porque não encontra nada no armário, pra vestir-se de forma desejada; Afinal, tem tempo pra isso.

A paciência é curta e as palavras não pensadas. É o típico "falou, tomou", ou famoso, "quem fala o que quer, ouve o que não quer."

O "eu" prevalece sempre. É típico egocentrismo falando mais alto e ditando regras. A mulher, na maioria das vezes, pensa somente em si própria e quer que o mundo gire ao seu favor e não o contrário.

Compra 300% a mais do que precisa. Estoca artigos desnecessários e acumula produtos vencidos do armário.

Não suporta ambiente com crianças. Não suporta o choro e não entende nada a respeito do mundo infantil. Acha que birra se resolve no tapa.

Acha que tem maturidade suficiente pra enxergar a vida como ela é.


Após a maternidade:

O foco é o conforto e o bem estar. As roupas são mais discretas e consequentemente mais confortáveis. Se ganhou peso na gestação, aprende a lidar com isso ou aceita, o que muitas vezes, acontece de forma inconsciente. Quando percebe, já aumentou a numeração das roupas e não lutou contra ou teve ataques. Se perdeu peso além do que via na balança, continua usando as roupas do passado, agora sentindo certo conforto, afinal estão folgadinhas.

Menos é mais. Usa menos acessórios, menos maquiagem e ganha tempo para dedicar-se às outras atividades assumidas no novo papel; o de mãe.

Pensa muito. Chega a pensar demais. Coloca-se na situação de outras pessoas e sofre por elas. 

Se vê uma criança chorando no colo de uma mãe aflita e outra dondoca resmungando na mesa ao lado é motivo de revolta e conflito interno. Quer que a mãe consiga acalmar o filho e acalmar a si própria e quer que a dondoca cale a boca e respeite o próximo. 

Compra -40% pra si própria e os outros 260% a mais para o filho. Só enxerga brinquedos, presentinhos, mimos e fofurinhas para o filho.

O "você" é o dono da razão. Por você, meu filho, dou a vida, dou a alma, dou o sangue.

Não tem paciência pra futilidade e pra papo extra. Os assuntos que pareciam tão interessantes quando solteira, agora são considerados extremamente desnecessários. Prevalece o pensamento: " como um dia pude ouvir ou gostar disso", ou "não acredito que um dia eu fui assim".

Está em constante aprendizado. Quando menos imagina obtém respostas nas coisas mais simples da vida. Dá valor para absolutamente tudo que envolva ações humanitárias e sente-se mais forte, mais dedicada e mais humana.

A vida em primeiro lugar. Primeiro a do filho, claro!

Não é mais ou menos por aí?
Me corrijam, se estiver errada!
Beijos



18 comentários:

  1. Mda mta coisa néh Edi,ainda não passei por essa experiência,mas tenho mto vontade.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alyne, muda completamente a vida da mulher.
      Por isso, aproveite tudo que tiver direito agora. Depois, o sentido é outro ;-)
      Beijos

      Excluir
  2. Concordo, e vejo que as mulheres também ficam mais sensíveis ao mundo de forma geral. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Completamente, Lu.
      Fiquei ainda mais sensível. Derretida mesmo rs
      Beijos

      Excluir
    2. Nem fale tudo que envolve mães e filhos me faz chorar!

      Excluir
    3. Eu quase morro de chorar também. Sonho, perco o sono. Como sofremos.
      Beijos

      Excluir
  3. vou descobrir tudo isso.. e vou ficar assim: éeee, a minha mãezona tinha razão. rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai descobrir sim. Antes, aproveite muito, viu?
      Beijosssss

      Excluir
    2. tô aproveitando.. rsrs

      Excluir
  4. Falou tudo!!!!!
    Concordo 100% com cada palavra Edi!!!!!!
    Quando era solteira e no auge dos 20, sempre dizia a frase que vc postou: Quem fala o que quer, ouve o que nao quer!!!!!
    Meu Deus, hj penso muito antes de dar uma resposta...mudei muito com a maternidade, e que bom que mudei!!! rsrs
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, eu era exatamente assim.
      Hoje tudo me dói, me machuca.
      Eu penso e se falo algo que não deveria, choro por isso. Arrependimento amargo mesmo.
      Beijos

      Excluir
  5. Depois da maternidade as prioridades são outras, sou capaz de atravessar um deserto prá ver o sorriso dos meus filhotes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, somos duas. Nós viramos coruja, onça, águia rsrs
      Beijos

      Excluir
  6. Muito legal a reflexao e muito verdadeira tbm.
    Ainda nao sou mae, mas ja me considero uma pessoa bem madura e principalmente pq adoro criancas e quero fazer pediatria sei lidar bem com elas e entendo mais ou menos os dilemas das maes, mas realmente tem muita gente que precisa de um filho pra conseguir enxergar a vida de uma forma mais bonita!
    Bjoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura,
      Que pensamento maduro e real. Fico muito feliz em saber que tenho leitoras tão inteligentes e humanas :-)
      A maternidade literalmente, tira o véu da mulher e a faz enxergar a realidade.
      Beijos

      Excluir
  7. gostei muito do que escreveu! depois que me tornei mae mudei até mesmo minha forma de trabalhar, sou médica esinto que cada crinca é um pouquinho minha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ângela
      Tudo bem?
      Obrigada pelo comentário :-D
      Fico muito feliz que tenha gostado do texto. É o que sinto e vivo diariamente. Realmente, nós mudamos em casa, no trabalho, em relação ao nosso pensamento e o das pessoas. Muitas coisas tornam-se fúteis e sem valor, né? E com relação as crianças, eu sinto que as enxergamos verdadeiramente somente após a maternidade. Antes disso, a paciência e o nosso pensamento é outro, estou certa?
      Fico feliz que você sinta o mesmo e que sinta esse amor pelas crianças. Elas sã presentes de Deus!
      Beijossss

      Excluir

Obrigada por comentar! Em breve, retornaremos! :-)

 
Copyright 2013 Mamães Vaidosas por Edi Mariano