quinta-feira, julho 11, 2013


Maternidade - A realidade de uma mãe

Resolvi falar nesse assunto delicado para ajudar as futuras mamães e ter a opinião de quem já é, passa ou passou por essa situação delicada.

Quando casamos e depois engravidamos, ficamos planejando a chegada do bebê e tudo que for inerente a ele. Nessa onda, acabamos achando que teremos ajuda de todos e que tudo sairá como programado. Não, não e não. 

Pra quem pensa que a maternidade se resume na ajuda do marido, babá 24 horas perfeita e ajuda dos familiares, se engana.

Depois que o bebê nasce, a nossa vida "congela". Esqueça tudo que programou pra depois. Tudo que programamos, dá errado. Falo isso porque não acontece só comigo, mas com todas as pessoas que conheço e que passaram pela experiência da maternidade.

Temos que ter ciência de que a vida e o bem estar do bebê é a prioridade e qualquer tempinho que sobrar é o nosso "lazer". Esqueça aquele papo do maridão que fala em ajuda, em partilha. A não ser que ele seja um super super super, e em extinção. Homem não tem dom materno, homem nasceu pra finalidade adversa, totalmente oposta. Ele pode colaborar, contribuir em algumas situações, mas, deixar de fazer algo dele, para se dedicar ao bebê e deixar você sair pra fazer academia, pode esquecer. Ele não tem o dom e não adianta insistir nisso. Briga não vai resolver, conversa ao pé do ouvido não vai resolver, nada que você faça vai mudar o instinto dele. A melhor coisa a fazer é ter conhecimento antes de engravidar e já ir trabalhando isso na sua cabecinha. Não existe fórmula mágica pra ter filho, existe muito improviso e muita mais muita paciência. Esqueça os três primeiros anos do seu filho. Será todinho dele. 

Nessa fase praticamente somos sugadas porque somos o centro dele e o seu porto seguro. Tudo que fizermos pensando em nós não sai como esperamos porque a nossa cabeça não desliga deles e não adianta. No começo, pra quem trabalha, tem a licença maternidade. Passou esse período, ou seu filho fica com a babá, que é artefato de luxo em extinção também, ou vai pra escolinha ou creche, que seja.

Se ele ficar em casa, corre riscos normais com a babá. Elas não nascem sabendo e nunca entenderão a sua cabeça. Esqueça a perfeição, não existe! Mais uma vez, seja portadora de paciência e muita calma. O principal é a saúde, alimentação e bem estar dos nossos filhos. Então, abstraia de tudo que lhe incomoda nela e foque somente no que quer para o seu filho. O resto é o propriamente dito, resto.

Se o seu caso é a creche ou escolinha, se prepare para a fase de adaptação do seu pequenino. No começo eles ficam um período com a mãe, ainda sentem-se inseguros, com medo, estranham o ambiente, as pessoas, a alimentação. Próxima fase: resfriados, gripes e corizas. Até o organismo da criança se adaptar e criar as defesas naturais para algumas doenças, passamos mais uma fase de provação. Eu falo que meu filho fica uma semana na escolinha e duas em casa. Fato! Até hoje adoece. Já pensei em tirar da escolinha e deixá-lo em casa com a babá que eu conseguir achar aqui em Belo Horizonte. Mas ai vem outro ponto chave: educação, pedagogia, aonde ficam? Ficam bem longe de casa. Certa disso, continuo insistindo na escolinha e previnindo de todas as formas que estiverem ao meu alcance para o meu filhote não adoecer. É muito difícil mas já evoluímos. O pediatra me fala, não adianta achar que ele não adoecerá mais, isso é impossível num ambiente com outras crianças e pessoas. Sempre vai ter um vírus circulando, uma bactéria passeando, uma colher da boca de outra criança, um brinquedo babado, uma mão suja, a camisa do uniforme úmida com a água que entornou e a professora/educadora não viu por ter mais 10 na mesma situação para olhar.  

Eu coloquei uma coisa na minha cabeça, o seguinte pensamento: Mãe é o ser humano mais paciente e santo do planeta. Não existe preocupação ou dor de cabeça maior de quem é mãe. Não existe! Fato e comprovado. 

Então futuras mamães, não se iludam. Comecem a ver a realidade, sondar escolinhas bacanas, pedir referências de babás, cuidadoras, o que conseguir. Se estiver grávida de 02 meses, melhor ainda. Tem um tempo bacana para decidir qual caminho seguir. Se opta pela escolinha/creche, babá, ou até mesmo parar de trabalhar até o bebê ficar mais "forte", como dizem os antigos.

Ah, e lembre-se sempre: Avó é a sua mãe, não é a mãe do seu filho. Então a educação é sua e as responsabilidades também!

E mais uma vez afirmo: Amo ser mãe, não troco essa experiência e o amor do meu filho por nada desse mundo, ele é tudo pra mim e vou além: nasci pra ser mãe do Eduardinho.

Não aguentou? Gritaaaaaa:


Maternidade - A realidade de uma mãe


Já mamães, concordam, discordam, gritam?

Comentem!


Beijos carinhosos,

48 comentários:

  1. haha concordo plenamente, ainda não sou mãe, mas convivo com meus sobrinhos e sei como que é o dia a dia, loucura total kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Total, Flávia. Imagine nas férias rsrsrs
      Beijosssss

      Excluir
  2. não sou mamãe ainda, mais passamos por uma noia de fazer uma loucura de ter um filho alguns meses atrás, meu namorido é louco por criança e queria pq queria, cheguei com calma e expliquei a situação, um filho agora pararia a minha vida, estou no segundo ano de faculdade, teria de tranca-la ou colocar a criança na creche (Coisa que não quero por conhecer a realidade das creches daqui), ele trabalha a noite, de dia dorme, tb não ia querer cuida, com carinho disse que agora não dá, que temos de ta firmado, e quando eu ter um filho eu quero parar por pelo menos 4 anos e curti minha cria ... conheço meus instintos e sei que me anularei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiza, acontece exatamente assim! Depois que ele nascer, pode esquecer de tudo mesmo. A vida muda e você se surpreende com a sua nova rotina, forma de pensar e viver.
      Pense com carinho e acredite que tudo vem na hora certa.
      Beijos

      Excluir
    2. Sabe Edi, apesar de minha pouca idade (Até parece) trabalhei 2 anos entre a maternidade, centro obstétrico e unidade intensiva neonatal como enfermeira, vi talvez a forma mais admirável da maternidade, MÃE, um ser que da a alma a seu filho independentemente do que ela tenha sonhado até ali, vi a forma mais viva do amor materno ao nascer, os primeiros cuidados, mais vi tb o sofrimento delas ao ver que seu pequeno nasceu antes do tempo, ou por algum motivo deveria ficar internado, vi mães passar 24 horas ao lado de seus filhos sentadas, sem condição alguma de conforto, mais ali, firme, olhando seus filhos como se de seu olhar transmitisse um pouco da vida delas ao seu filho, vi mulheres ser mãe em todas as idades, e todas elas relatava a mesma coisa, minha vida mudou, mais vi algo que tenha mudado minha opinião sobre a maternidade, todas elas saia dali, mudadas, poucas trites mais com pensamento que a vida continuaria e que tentaria de novo, porem muitas saiam felizes, com um bebe no colo e um sentimento de que o próximo passo seria um recomeço a vida!

      Excluir
    3. Puxa vida, Luiza! Que lição de vida você viveu menina! É exatamente assim. Quando o meu filho nasceu eu estava muito doente e não sabia. Senti uma dor que parecia que ia abrir o meu tórax mas não conseguia pensar em mais nada, a não ser nele, no meu pequeno que acabara de nascer. A sensação e a emoção são únicas. É uma coisa pra guardar pro resto da vida. Eu choro quando lembro. Que emoção, que amor!
      Beijos

      Excluir
  3. Nossa Edi, vc disse tudo!
    Tudo que planejei, que sonhei, nao saiu do jeito que imaginava!!!!!
    Depois que me tornei mae, vivo em funcao do meu filho, minha prioridade sao eles, o meu tempo eh o tempo deles, descanso somente nas horas que eles descansam tbem!!!!!
    Eu abri mao do trabalho para cuidar dos meus filhos, achei que foi a melhor opcao, em meu caso...
    Nao queria deixa-los em uma crèche e qdo perceber meu filho ja estava andando, falando e eu nao poder participar desses momentos magicos que eh de ver o primeiro passo, a primeira fala, a primeira papinha, enfim....etc....
    Posso nao ter concluido, ainda, tudo que desejava ha anos atras, alguns sonhos estacionaram, mas tenho certeza de que me tornei uma pessoa muito melhor e me sinto realizada a cada sorriso maroto que vejo na face dos meus filhos!!!!!!
    Nasci para ser mae, descobri que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido em minha vida!
    Meus filhos sao minha vida, oa mor mais pleno que poderia ter... s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, que coisa mais linda que compartilhou com a gente. É uma verdadeira declaração de amor de mãe. Eu vivo exatamente assim. As vezes eu preciso cuidar do blog e dele e fico com o coração na mão porque o meu filho precisa de mim por perto, pra sentir-se seguro e eu preciso deixar tudo que estou fazendo e ficar com ele. A nossa vida é cheia de esforços, de sacrifícios e precisamos abrir mão de tudo por eles. Acho que é o minímo que podemos fazer depois que os trazemos para esse mundo cruel e frio.
      Beijos

      Excluir
    2. Sei bem como eh isso....
      As vezes se estou um pouquinho ocupada, seja la fazendo qqer coisa, meu filho fala que esta com saudades e me da um beijo....
      Imagino se eu estivesse longe, como seria?
      Sei que nao conseguirei estar ao lado o tempo todo, afinal os filhotes crescem...mas enqto puder quero aproveitar tudo ocm eles, registrar cada momento...
      Sou coruja mesmo...kkkkkkk
      Acho que estou escrevendo um livro aqui ne....rsrs
      MAs eh que me empolgo qdo falo sbre meus babys <33

      bjinhos

      Excluir
    3. Dani, te entendo perfeitamente porque sou igualzinha :-)
      Adoro quando você compartilha com a gente <3
      Beijossss

      Excluir
    4. E eu adoro ler seus posst, com dicas sobre tudo!!!!!!!
      bjos

      Excluir
    5. Fico muito feliz e grata <3
      Beijos

      Excluir
  4. Edi, eh o Eduardinho nesta foto????!!!!!
    Lindo!!!!
    PArabens pelo principe que Deus colocou em sua vida!!!!! <3
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é ele há um ano e meio atrás. rsrs
      Obrigada <3
      Beijosssss

      Excluir
    2. Muito lindo!!!!!
      Carinha de sapeca!!!! rs

      Excluir
    3. menina parabéns pelo filhote, lindo, e linda foto!

      Excluir
    4. Ele é ligadíssimo Dani <3
      Beijos

      Excluir
    5. Mas eh bom assim!!!!
      Qdo estao muito quietos ha algo de errado....
      bjos

      Excluir
  5. Adorei o seu texto, vc reuni o melhor dos dois mundos, gosta de maquiagem, mas também passa pelos mesmos problemas que a maioria das mães dedicadas passam.
    Eu não confio em creches nem tão pouco em babás, por isso estou me dedicando aos meus filhos, é difícil mais todos os dias mato um Leão, dentro de mim, tem que ter muita calma e paciência acredito que ser Mãe de Verdade vc já nasce com esse Dom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina de Deus, e como há leões em nós rsrsrs.....
      Vivemos num jogo de amor, de paciência, de sentimentos e de vitórias. Somos guerreiras mesmo.
      Beijos

      Excluir
  6. Qdo adotei os meninos me senti entre a cruz e a espada, vontade de abandonar o trabalho e ficar com eles em casa e ao mesmo tempo sempre amei meu trabalho, toda vez que deixo meus pequenos na creche e escola vou trabalhar com coração apertado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Josi, eu faço idéia do seu sofrimento. Eu passo pelo mesmo. Não é fácil. O amor de mãe é único.
      Beijossss

      Excluir
  7. Concordo Edi.
    Eu conheço um super pai (meu irmão) que pode ser chamado de pãe. Participa e ajuda muito minha cunhada, minha sobrinha é até mais apegada a ele. Com esta experiência, percebo que mãe é mãe. Por mais que haja participação e ajuda do pai, avós, tios, etc, o instinto materno move tudo.
    A rotina da mãe (trabalho, academia, etc), volta aos poucos, não é necessário ansiedade ou desespero. Até 3 anos de idade é complicado mesmo, mas, às vezes, até antes disso, a mãe consegue um tempo pra si.
    O segredo é amor e paciência.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adri, é bem assim mesmo. No meu caso, não voltei a rotina 100%. O meu filho é muito mas muito apegado a mim e se estiver em casa, não me larga pra nada. Espera na porta do banheiro, quer entrar comigo, chora, fica triste. É de partir o coração, sabe?
      O seu irmão é um anjo!!! Pura benção para a sua sobrinha.
      Amor, paciência e dedicação.
      Beijossss

      Excluir
  8. Edi, para mim ser mãe é o máximo. Tenho um casal em idades super diferentes, as gestaçóes foram complicadas , mas me lembro muito de cada momento. O que sinto muitas saudades são dos movimentos na barriga, e a amamentação. Eu adorava amamentar, era um momento só nosso, troca de carinho, olhares, sorrisos.Depois acompanhar as descobertas, o crescimento é maravilhoso. Acho que os 2 primeiros anos a criança precisa muito da mãe, eu posso dizer que não me arrependo de abrir mão de algumas coisas por eles,
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera, a gente abre mão da nossa vida por eles. Eu vivi apenas uma experiência mas imagino que seja assim para todas as gestações, né?
      Você viu alguma diferença nesse sentido de cuidados?
      Beijossss

      Excluir
    2. Menina, você nem imagina..rsrs. Como eles tem 11 anos de diferença, eu já estava desacostumada. Quando meu filho nasceu eu reaprendi a cuidar dele. A enfermeira ria de mim, eu não lembrava como colocava uma fralda, na hora do banho foi terrível, quase afoguei o meu filhinho.Comprei uma redinha para colocar na banheira, assim ele não caia.Como ele é o caçulinha, é o mais grude comigo, mas tá passando pela fase difícil, adolescência, aí não tem jeito, tenho que ter muuuuuuuuuuuuuuuita paciência para não surtar rsrs.
      Bjossssssssss.

      Excluir
  9. Acho que ser mãe é abrir mão de si mesma na maioria das vezes,mas deve valer a pena com certeza.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abrir mão de si e amar o seu filho como não existisse mais nada no mundo!!!!
      Beijosssss

      Excluir
  10. Bem bacana o texto amiga!!!
    Seu filho é lindão!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jana.
      Ele é razão do meu viver!
      Beijossss

      Excluir
  11. Que lindo texto... imagino como deve ser, uma luta diária, vejo pela minha mãe. E o cuidado não fica apenas com os filhos, a mãe quer cuidar de todos que ela puder. É uma benção divina.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, depois que nos tornamos mãe, queremos adotar o mundo. É muito engraçado. Indiferente da idade, chamamos as pessoas de filho, vemos a vida com outros olhos, temos mais compaixão. É benção mesmo.
      Beijos

      Excluir
  12. Concordo com o texto, mas faltou ainda a parte que não podemos reclamar, pois todo mundo acha que porque somos mães não somos humanas, não temos dores, não sofremos, não temos vida... Adoro ser mãe mas não é fácil. Ser mãe de verdade é diferente de ser parideira que coloca no mundo e deixa que cuidem. Parei minha vida para cuidar da minha filha e não me arrependo. É nossa melhor parte, aprendemos muito e vamos nos esforçando e melhorando a cada dia. Beijos a todas as mamães guerreiras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Solange,
      Concordo com cada palavra dita. Eu parei a minha vida também. Nós cansamos, nos esgotamos, somos seres humanos e também falhamos. Eu vejo muitas pessoas criticando mães mas ninguém sabe o que passamos e o que sentimos dentro de nós. Não suporto julgamentos. Eu não aceito e não escuto, sabe? Se o bom Deus não nos julga e nos ama, acho que tudo depende exclusivamente da nossa consciência e de nós, excluindo terceiros, quartos e quintos.
      Eu vejo muitas mães parideiras como você disse e não consigo entender, engolir essas mulheres. Elas são humanas?
      Beijos

      Excluir
  13. Adorei, super dicas! Ainda não coloquei meu filho na escolinha...deixo com minha mãe que confio pra cuidar dele...quanto mais tempo junto da família, melhor! bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ci, excelente escolha. Se podemos deixar com alguém da família é muito bom para eles. Só temos que ficar de olho com a idade, para que eles entrem na escolinha para ter a formação correta, na hora certa.
      Beijossss

      Excluir
  14. Eu ainda vou realizar esse sonho de ser mãe,amei o texto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro que vaaaai!!! Deus faz tudo na hora certa, Tati. Você vai sentir tudo isso e mais um pouco minha querida <3.
      Beijossss

      Excluir
  15. Deve ser um trabalho mas, ao mesmo tempo gostoso ser mãe! Vou indicar o blog pra minha prima Edi, ela descobriu que estava grávida há poucos dias.. foi um susto pra ela apesar dela ter desejado tanto, demorou tanto que a ansiedade passou e o bebê tá vindo aí.. rsrs por isso que dizem, tudo tem o tempo certo de Deus, isso serve para todos os momentos de nossas vidas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Deus abençoe Bertinha! Fico muito feliz por ela e pelo anjo que está pra chegar!
      Muita PAZ e LUZ!
      Beijos

      Excluir
  16. Ai miga!!!! bem isso mesmo...o pediatra dos meus filhos falava pra mim..."nada que um rivotril não reolva!!!!!" agente quase pira, mas eh a melhos coisa do mindo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Thais.
      A gente pira mas é feliz kkkkkkk
      Beijos

      Excluir
  17. Partilho da mesma opinião da Dani Hiroita, da Vera e da Solange e tbm concordo com a Adriana, tenho um marido paizão q faz de tudo pelo filho.Ás vezes ficamos um pouco frustradas pq o nosso trabalho não é reconhecido por pessoas q estão de fora.Aí dizem assim:vc está cansada d q? Não trabalha fora!Mas tenho um linha de pensamento e tenho certeza do que faço tenho sido correto.NENHUM SUCESSO PROFISSIONAL COMPENSA O FRACASSO DE UMA FAMÍLIA.BJS E OBRIGADA POR COMPARTILHAR COM SUAS LEITORAS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, adorei! Disse tudo! Essa frase é pro mundooooo <3
      Obrigada por compartilhar :-)
      Beijos

      Excluir
  18. Depois se tiver um tempinho dá uma olhadinha no meu face,lá no meu mural tem um recadinho q deixei,está com a foto do meu filhote,foi um desabafo e um incentivo para as outras mães.Naquele dia não sei como tive forças pra postar,fui esmagada com tanto veneno q fiquei prostada na cama o dia todo,apesar de ter revidado a altura fiquei mal por atacarem minha auto-estima.Mas tá passando...bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Em breve, retornaremos! :-)

 
Copyright 2013 Mamães Vaidosas por Edi Mariano