terça-feira, janeiro 13, 2015


Bebê Prematuro - Restrições

Como havia comentado anteriormente com vocês, Emmie nasceu prematura de 33 semanas. E diante de situação tão delicada, precisou de tratamento especial e diferenciado para não correr o risco de adoecer em casa e ter que retornar para a UTI. 

Sempre assistida pelo pediatra, segui todas as suas orientações mesmo que estas pudessem contrariar ou criar desconforto para quem quisesse visita-la, pois somente com quatro meses o pediatra achou seguro liberar visitas em casa e uma vida não tão regrada como a que estávamos vivendo. Isso porque o prematuro não pode tomar vacinas antes de atingir certo peso (por aqui aguardamos até 2.5kg), não tem imunidade e precisa recuperar e alcançar as semanas que nasceu antecipadamente. E para acompanharmos essa recuperação e evolução, contamos as semanas como se ele tivesse nascido na data correta e não de forma prematura. Então se hoje Emmie está com 6 meses e meio, contando corretamente, corresponderia a 5 meses de nascimento, ou seja, ela ainda tem que recuperar um mês e meio para se ajustar e ser comparada com uma criança que nasceu no tempo certo e tem seis meses e meio. 

No começo ficamos meio confusas mas depois conseguimos controlar essa diferença e entender que a criança não está atrasada, ela simplesmente nasceu antes do tempo e precisa recuperar fora da barriga o que ganharia e evoluiria dentro da barriga da mamãe. 

O pediatra ainda me informou que essa recuperação pode caminhar até meados de 1 ano e meio e depois tudo entra nos eixos sem ter que fazer essa contagem complicada. Isso vai depender da evolução da criança e cada organismo reage de forma diferente, então o que temos a fazer é respeitar a criança e não sair comparando com outras da mesma faixa etária de nascimento. 

Enfim, depois da alta hospitalar a primeira coisa que fizemos foi deixa-la resguardada e sem visitas. Mesmo com essa restrição tive que viajar a trabalho mas não deixava ninguém ter contato com ela, a deixando mais quietinha no quarto de hotel e nunca a levando em ambientes fechados, com ar condicionado ou no convívio de outras crianças. 

Acredito que estes cuidados foram primordiais para a sua rápida recuperação e ganho de peso. No início quanto menos exposição o prematuro tiver, melhor será a sua recuperação e desenvolvimento. Tanto que até as consultas dela eram em horários diferenciados, justamente nos dias em que o pediatra atenderia somente bebês prematuros e em horários pontuais, evitando o risco de se cruzarem ou terem contato com crianças doentinhas. 

Enfim, este foi apenas um dos cuidados que eu tive que ter com a minha princesa e posteriormente volto para contar mais sobre as particularidades do bebê prematuro para vocês. Alguém se identificou nessa situação?

Beijos


4 comentários:

  1. Oi Edi! tenho amigas minhas que já passaram e/ou estão passando pelo mesmo assunto! É muito difícil sim esta fase que tudo tem que ter muito cuidado! Os bebes prematuros são muito frágeis! Sempre temos que ter o máximo de atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Isabel
      Os bebês prematuros são muito especiais e realmente precisam de cuidados redobrados no início. Mas depois que fortalecem e passam dessa fase delicada, se recuperam muito rápido! Eles são nosso maior orgulho e uma verdadeira lição de vida! Beijos
      Beijos

      Excluir
  2. Acompanhei vários casos de bebês prematuros de perto e com os devidos cuidados e dedicação eles superam muito bem isso.... Mas é um trabalho que requer muito carinho e atenção ao longo da infância com peso, altura, mas nada que muito amor não resolva né....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor cura tudo, supera, vence barreiras e alimenta a vida, amiga!
      Beijossss

      Excluir

Obrigada por comentar! Em breve, retornaremos! :-)

 
Copyright 2013 Mamães Vaidosas por Edi Mariano