domingo, março 22, 2015


Seis dicas práticas para a educação financeira dos filhos

A educação dos filhos não é uma missão fácil. Envolve atitudes como orientar sobre o que é certo e errado, estabelecer regras de comportamento e convivência e instruir sobre boas maneiras. Entre os ensinamentos, também está a tarefa de explicar à criança o significado e o real valor do dinheiro, mostrando como é importante saber administrá-lo corretamente. Usando técnicas e metodologias do coaching, a Sociedade Brasileira de Coaching preparou algumas orientações que auxiliam no desenvolvimento de habilidades e competências e podem auxiliar os pais a adotar hábitos para incrementar a educação financeira das crianças.

Explique o valor do dinheiro - Crianças não possuem discernimento para distinguir o que é muito ou pouco dinheiro. Por isso, é necessário explicar o valor de cada objeto de maneira simples para que elas possam compreender a importância de não gastar com coisas supérfluas. Uma das formas de iniciar essa explicação é sentar-se com a criança e mostrar as diferenças entre cheque, cartão de crédito e débito e quais são os melhores momentos para utilizar cada um desses recursos.

Presenteie só em datas especiais - Dê presentes apenas em datas especiais, como aniversário, Dia das Crianças e Natal, para evitar que o pequeno queira mimos frequentemente. Essa medida é fundamental para o treinamento e desenvolvimento dos filhos.

Dê o exemplo - Seja sempre um exemplo para a criança. De nada adiantará ensinar a ela sobre como fazer um bom trabalho de administração de gastos, se você costuma estar sempre endividado. Garotos e garotas que convivem num ambiente cheio de dívidas acabam achando isso normal e tendem a reproduzir essa atitude com sua mesada e também na vida adulta.

Estimule a poupança - Incentive as mesadas e saia com seu filho sempre que for comprar algo, mostrando as diferenças entre os preços e o que ele consegue comprar com o dinheiro que recebe todo mês. Se o produto que ele deseja for mais caro que a quantia que tem em mãos, estimule a prática da poupança, deixando claro que, se ele realmente quiser aquele objeto, terá que economizar. Os pais também podem incentivar os filhos a poupar presenteando-os com cofrinhos, para que guardem o dinheiro que recebem de mesada ou eventualmente, com o objetivo de atingir a quantia necessária para adquirir determinado item.

Valorize o consumo consciente - É válido aconselhar o filho a anotar todas as compras que fizer, com o nome e o custo de cada produto. Esse simples hábito irá ajudar a criança a ter mais controle sobre suas contas e a verificar com quais artigos ela gasta mais dinheiro. “Esse treino comportamental, quando aplicado corretamente à rotina dos pequenos, traz ótimos resultados, principalmente com relação à responsabilidade financeira. Crianças que aprendem a conviver com o dinheiro se tornam adultos mais responsáveis e conscientes”, explica Villela da Matta, presidente da SBCoaching. Você pode estimular a criança a doar periodicamente itens que ela não usa mais. Assim, ela percebe que não precisa de muitos objetos materiais para ser feliz.

Estimule o desapego – Um excelente exercício é realizar um bazar ou colocar à venda na internet os brinquedos e roupas não usados há mais de um ano. “Deixe seu filho à frente do processo, desde a definição dos preços até a negociação. Assim ele começará a ter noções do valor de cada produto e treinará seu poder de argumentação”, orienta Villela da Matta, presidente da SBCoaching. Metade do dinheiro arrecadado deve ir para poupança e a outra metade poderá ser gasta com o que a criança preferir. “É mais fácil criar o hábito de guardar dinheiro desde cedo quando ainda não existe uma associação de dor ao poupar do que na fase na adulta”, aconselha o coach. 




4 comentários:

  1. Acho que não só para os filhos, né? Sâo boa dicas para todos nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Aruanda! Principalmente para as vaidosas consumistas... rsrsrs
      Beijocas

      Excluir
  2. Adorei as dicas mas confesso que eu tô precisando mais delas kk..... o meu pequeno não é muito ligado ao consumismo.... entende bem quando se pode ou não comprar, esse ano resolvi não comprar mochila nova para ele pois a antiga ainda estava boa, lavei ela deixei como novo, reclamou um pouquinho mas fui explicando com carinho e ele entendeu bem, as vezes até falava mas mãe vc compra TAL mochila, e lá ia a mamâe explicar denovo, kkk..... Não por não poder dar uma nova mas a dele estava muito boa ainda, e por ser filho único a gente tem a tendência a dar tudo, queria até testar como estava esse ter tudo dele e confesso que me surpreendi....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Li
      Verdade! Nós temos que ser o exemplo e muitas vezes somos o oposto para eles. Precisamos nos controlar e segurar a verba no bolso. rsrsrs
      Por aqui, Dudu também entende e nos enche de alegria e orgulho.
      Sempre que pede algo que não cabe ao momento, explicamos e ele super entende. Seu filho está de parabéns e vocês papais, ainda mais pela educação e exemplo! Um beijo

      Excluir

Em breve responderei o seu comentário! Obrigada :-)

 
Copyright 2013 Mamães Vaidosas por Edi Mariano